• Criai Paraná

Autista esclarece dúvidas em palestras que faz pelo estado do Paraná

Texto: Patricia Schmidt

Crédito foto: Gabriel Sarnes

Francisco Beltrão volta a debater o autismo, dia 23 de novembro, na sede do Cesul com a realização do 1º Seminário Autismo na Prática. O Fórum do Autismo que ocorreu em julho, reuniu o público de mais de 600 pessoas. “O evento foi tão importante que ficou a promessa de voltarmos a debater esse assunto antes de acabar o ano”, afirmou o deputado Subtenente Everton, que também já organizou seminários em Curitiba e em Ponta Grossa sobre o tema. “Ninguém se compromete com aquilo que desconhece”, afirma o deputado que é membro do CRIAI – Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente e do Idoso, e coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Primeira Infância. O autista Jacob Galon também participou dos encontros como palestrante, levando a sua experiência de vida e respondendo várias perguntas que ajudam a esclarecer dúvidas a respeito do tema.


Jacob Galon tem 33 anos e foi diagnosticado com autismo de grau 2, somente na adolescência. Por conta desse diagnóstico tardio, conta que sofreu muito para se adaptar ao mundo, na infância. “Muitas vezes eu estava lá e não estava”, revela. “Na minha infância eu achava que os outros eram diferentes e não que eu era diferente, foi na adolescência que eu percebi que eu é que era diferente dos outros, isso foi pra mim um sofrimento bem grande”, afirma. “Primeiramente eu tive um diagnóstico de atraso mental e o médico falou para a minha mãe que eu não seria muita coisa na vida e vejam o que eu consegui conquistar”, disse. Jacob também é ator, roteirista, produtor e diretor na Banana Filmes. Além disso, vem conquistando o público com a sua história e o seu carisma nas palestras, informando e orientando pais e educadores que os assistem admirados, pois com o seu jeito didático e calmo, ele consegue ajudar a esclarecer muitas dúvidas em torno deste tema. Nos seminários que participa, quase todas as perguntas são voltadas para ele. “Jamais subestime o seu filho. É preciso começar a enxergar o potencial dele”, encoraja. “Você é diferente, mas, isso é legal. Eu como autista posso falar, tem coisas boas sim!

“Eu não consigo não me ver autista”, afirma.


Crédito foto: Gabriel Sarnes

Em suas palestras que sempre acabam em bate-papo, Jacob explica o que são hiper focos, estereotipias e que, na maioria das vezes, são uma forma de o autista buscar o equilíbrio; ele orienta como pais e educadores devem se comportar diante de uma crise. “Nem sempre abraçar é bom”, revela, apesar de explicar que cada autista tem suas particularidades. “Se eu estivesse em crise e alguém viesse me abraçar, isso só me deixaria mais nervoso, em vez de melhorar”, relata. Jacob também fala da fase de luto enfrentada pelos pais ao descobrirem que o filho é autista, e outra dúvida muito comum é se devem contar ou não para o filho, quando e como?


Jacob hoje também passa pela experiência da paternidade, ele está vivendo o processo de adoção de uma criança e conquistando mais um dos seus objetivos que era o de ser pai. “O diagnóstico não pode me fazer parar de seguir meus objetivos”, declara. “Meu filho veio pra mim com seis anos de idade, e muitas dificuldades que ele tem hoje foi por conta da falta de estímulos na primeira infância e não por causa do autismo”, conta Jacob que ainda espera um diagnóstico sobre o autismo do filho. “Crianças precisam de terapia, mas crianças são crianças e também precisam brincar”, sugere. “É preciso focar no que funciona e não sobrecarregar a criança de terapias, cursos e especialistas”, alerta.


Na opinião do deputado Subtenente Everton “é preciso levar a conhecimento de todos o imenso potencial que um autista tem, basta isso ser trabalhado entre a família, a escola e a sociedade”, afirma. Afinal, pessoas como o jogador de futebol argentino Messi, o nadador Michael Phelps, e o cineasta Tim Burton, são pessoas com certo grau de autismo que alcançaram o sucesso na carreira mesmo com os sintomas da doença.


O evento “Autismo na Prática” objetiva aprofundar e socializar conhecimentos específicos para o TEA (Transtorno do Espectro Autista), com o intuito de amparar profissionais da saúde, educadores, terapeutas, acadêmicos e familiares, oportunizando melhor qualidade vida para os autistas. Vai contar também com as presenças da psicopedagoga, Patrícia Blange; do terapeuta ocupacional, Mohara Bottino; do 1° Tenente João Eduardo Costa Vaz, coordenador da Equoterapia do Regimento de Polícia Montada (RPMon) e do consultor, Anderson Marques, especialistas em isenção e assessoria na compra de veículos para pessoas com deficiência. A participação de Jacob Galon em Francisco Beltrão ainda é uma surpresa, mas, com certeza ele estará presente em vídeo gravado ou ao vivo.


Serviço: 1º Seminário Autismo na Prática de Francisco Beltrão Data: 23/11/2019 (sábado) Horário: das 8h às 17h Local: Cesul – Centro Sulamericano de Ensino Superior Ingresso solidário: 1 kg de leite em pó Inscrições através do site www.deputadoeverton.com.br

0 visualização
BOTAO DO PANICO.png

Criai Paraná 2019 | Todos os direitos reservados.

  • Facebook