• Criai Paraná

Criai organiza Audiência Pública para discutir “Adoção e Apadrinhamento Afetivo”


Dia 25 de maio é o Dia Nacional da Adoção. Aproveitando a oportunidade foi marcada para o dia 22 de maio (quarta-feira), às 9h, no Plenário da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), uma audiência pública organizada pelo presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, Adolescente, Idoso e da Pessoa com Deficiência (Criai), o deputado Cobra Repórter (PSD), para discutir ações relacionadas à Adoção e ao Apadrinhamento Afetivo.


O deputado Cobra Repórter informou que uma das medidas é impulsionar o “Apadrinhamento Afetivo”. “A maior parte dos interessados em adotar crianças tem a preferência por bebês. Enquanto isso, milhares de crianças mais velhas continuam em abrigos. O programa de Apadrinhamento Afetivo não resolve o problema, mas possibilita a essas crianças a oportunidade do convívio familiar e da criação de laços com pessoas de fora da instituição de acolhimento. É uma atividade regulamentada pelo Governo Federal. Como presidente da Criai, vou incentivar essa iniciativa tão importante para a vida dessas crianças”, garantiu o deputado Cobra Repórter.


Na oportunidade, promotores da Vara da Infância e Juventude darão uma palestra, serão exibidos vídeos com depoimentos e os parceiros da Criai também serão homenageados com diplomas. A Criai também está preocupada com a quantidade de crianças com mais de 12 anos que estão em abrigos do Paraná esperando para serem adotadas.


Segundo dados do Conselho Nacional de Adoção (CNA), são, hoje, 9410 crianças e adolescentes em casas de acolhimento espalhadas pelo Brasil aptas para adoção e 999 no Paraná (é o 4º Estado com mais crianças e adolescentes para adoção; só ficando atrás de São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais). Destas 999, cerca de 40% tem mais de 12 anos segundo o Ministério Público do Paraná. Em Curitiba, são 497 crianças e adolescentes acolhidos nas 22 casas abrigo da capital. Destas, 123 meninos e 110 meninas já ultrapassaram os 12 anos. A promotoria da Vara da Infância e Juventude de Curitiba considera esses números altos já que, a partir dessa idade, as chances de adoção são mínimas.


A promotora Mariana Bazzo afirmou que as crianças com mais de 12 anos que vivem em abrigos, na maioria das vezes, acabam indo para o caminho da marginalidade, drogas e prostituição no decorrer da adolescência. “Temos que criar meios de minimizar os efeitos negativos dessa ausência de carinho, amor... de família! A situação chega fora de controle em razão de uma institucionalização de longo prazo, da falta de cuidado individualizado, da autoestima prejudicada e da dificuldade de interação social”, explicou a promotora.


A Criai é formada por sete integrantes: o presidente deputado Cobra Repórter, a vice-presidente deputada Cantora Mara Lima, os deputados Alexandre Amaro, Luciana Rafagnin, Marcio Pacheco, Subtenente Everton e Luiz Carlos Martins.


Serviço:

Site: www.criaiparana.org

E-mail: secretaria.criai@alep.pr.gov.br

Telefones para denúncias: (41) 3350-4395/4033

41 visualizações
BOTAO DO PANICO.png

Criai Paraná 2019 | Todos os direitos reservados.

  • Facebook